Gênys Jr Advocacia

Artigos

PERDI UM IMÓVEL POR FALTA DE FIADOR!

 

Como alugar meu imóvel sem precisar da ajuda de terceiros?

 

Existem diversas formas de garantia, que se aplicam dentre os quatro tipos permitidos pela lei (Caução, Fiador, Seguro Fiança e Quotas de Fundo de Investimento), e que não são de conhecimento popular. Por este motivo, te apresento para que você não deixe escapar seu novo lar!

 

Talvez a forma mais conhecida de garantia de locação seja o Fiador, pois cumpre com a forma tradicional dos processos imobiliários, é uma garantia que traz segurança ao proprietário, e deve ser usada quando você pode contar com aquela força de familiares!

 

No entanto, não é mais necessário se prender ao tradicional Fiador Pessoa Física. Hoje, é comum buscar formas empresariais de atender a exigência do(s) proprietário(s), buscando como fiador Empresas ou Instituições Financeiras que assumem esse papel mediante pagamento de serviço, emitindo uma carta fiança, que pode valer a pena se você pechinchar o custo dela num desconto do aluguel.


Neste caso, sabe o que tem deixado muitos locatários felizes por aí? Tem empresa de fiança que aceita seu cartão de crédito como garantia do imóvel pretendido! Isso mesmo! Com o limite 4x o valor pretendido, você consegue alugar sem muita burocracia e com aprovação no mesmo dia. E o melhor! Nesta opção, caso um cartão não atinja o limite, você pode compor o limite com os cartões da família.


Existem vários tipos de seguros e coberturas, Seguros de Carro, Vida, Casa, até mesmo de Celular e por que não Seguro de Fiança Locatícia? O que antes já foi muito caro, hoje pode sair pelo valor de um aluguel por ano, podendo pagar em até 12 vezes. Nesta preferência, a Seguradora substitui a função de Fiadora como Pessoa Jurídica (P.J.), mediante o pagamento de um prêmio (nunca entendi esse nome já que não ganho nada rs), ou seja, você paga para, em caso de algum problema, a seguradora assumir a responsabilidade do pagamento do aluguel do imóvel em questão.

 

A última opção prevista por lei é a Caução, o chamado Depósito,  entrega-se até 3 vezes o valor combinado de aluguel, sendo possível resgatar após concluído o contrato de locação, desde que se cumpra o contrato corretamente. Entretanto, a limitação pela lei do valor máximo - 3x o valor do aluguel- faz com que muitos proprietários não aceitem tal garantia locatícia, além dos casos em que o proprietário usam o dinheiro e ao fim do contrato, consequentemente, não tem como devolver.

 

Outra forma de utilizar a Caução é através de um imóvel, carro ou de uma máquina, cujo valor cubra o período do contrato de locação. Imagine que você já tenha um imóvel e esteja buscando outro para abrigar algum familiar, começar um negócio próprio, ampliar seu consultório e etc., Se seu imóvel estiver quitado, sem ter que disponibilizar caução em dinheiro, você pode oferecê-lo como garantia locatícia, desde que esse contrato seja registrado no cartório de registro de imóveis ou, caso a garantia seja um automóvel, por exemplo, será necessário o registro do contrato de locação no cartório de títulos e documentos do local onde foi assinado. Agora, se o carro ou a máquina forem roubados o proprietário exigirá nova garantia.

 

Além desses, o Título de Capitalização é recomendado para quem tem uma grana aplicada e aceita mudar para uma aplicação atrelada ao contrato de locação e que será administrada por uma Instituição Financeira, emissora das quotas, legalmente autorizada pela Comissão de Valores Mobiliários, como “Agente Fiduciário”. O valor mínimo da aplicação vai de 6 a 12 vezes o valor do aluguel e encargos. Na maioria das vezes, também é aceita para quem tem aquele probleminha no Serasa ou SCPC e já não sabe como resolver. Você aplica o dinheiro e ele fica rendendo, concorre a prêmios, sem fiador e a empresa nem faz consulta do seu CPF!

Com o aumento da oferta de imóveis e a informatização de processos judiciais, hoje está em uso também os Contratos Sem Garantia com diferença única de que o pagamento do aluguel é antecipado e não exige auxílio de terceiros, sejam eles pessoas físicas ou jurídicas.

 

Todavia, como todas as opções, possui seus prós e contras. Por se tratar de uma locação sem uma garantia efetiva, o proprietário ou a administradora do imóvel em questão, além de cobrarem o aluguel antecipadamente, em caso de inadimplência, entram com a ação quase imediatamente, e, além do risco do despejo, a conta fica salgada com as custas de processo, honorários de advogado, etc.!

 

O mercado imobiliário está cada vez mais fluído e menos burocrático, para atrair consumidor, podendo assinar contratos pelo celular! Por isso, quando alguém perguntar se você tem garantia locatícia já pode responder: “Qual dessas você quer?”.